sábado, janeiro 07, 2006

As novas dúvidas de Koeman

Depois de uma primeira volta em que era fácil saber o onze do Benfica, em que as dúvidas de Koeman tinham mais a ver com o facto de colocar ou não em campo jogadores a recuperar de lesão, eis que Koeman pode ter as tão chamadas dúvidas saudáveis. Com os reforços que chegaram no período pós-natalício ao plantel do Benfica, que onze irá Koeman formar?
Analisando de frente para tráz, eis algumas dúvidas que deverão pairar na cabeça de Koeman.

Simão/Robert – onde e como?

Esta parece-me a dúvida principal.
É o que se pode chamar uma pescadinha de rabo na boca. Então não é que o raio do rapaz joga na mesma posição que o intocável Simão?
Pois. Se Simão ficar no Benfica, como ficamos? Simão passa para a direita? Para o meio? Robert vai para o banco? Simão vai para o banco?
Destas hipóteses todas a única que me parece viável é a primeira hipótese, isto é, Simão passa para a direita.
Não me parece e não cabe na cabeça de ninguém que algum dos dois vá para o banco, Simão pela sua importância no jogo do Benfica e Robert pela propaganda da contratação e até pelo seu feitio (aliás, ele não assinaría se não tivesse a certeza de ser titular).
Para o meio, também não me parece que vá Simão, até porque não consegue metade do rendimento aí e, pelo que temos visto desta época, é mais óbvio que aí jogue Nuno Gomes como 2º ponta.

Este problema deixa de o ser caso Simão seja vendido, o que temo que aconteça, dado o perfil de reforços que até agora chegaram à Luz. Se Simão sair, Robert ficará definitivamente com a faixa esquerda, sobrando a Geovani e Marco Ferreira a luta pelo flanco oposto (sem excluir, é claro, Nélson). Vejo Maduca para o lado esquerdo mais como opção de banco.

Pontas de lança

Um? Dois? Pelas opções disponíveis e pelo historial da época dois. Um deles Nuno Gomes, é óbvio. O homem este ano está super-produtivo e gosta de jogar com companhia, fazendo bem as trocas com um segundo homem, ora a servi-lo ora a ser servido - como se passou frente ao Setúbal, com a assistência de Geovani.

E, por falar em Geovani, quem é o segundo ponta? Não me parece líquido que seja Micolli. Geovani tem desempenhado muito bem essa função e Micolli vem de lesão. Sem contar que com a solução para os extremos já citada (Robert na esquerda e Simão à direita), Geovani perde margem de titularidade nas linhas logo quando parece estar na melhor forma. Para mim Geovani deixou de ser extremo.
Eu apostaria em Geovani a ponta de lança titular e guardaria Micolli ou Mantorras para lançar com o desenrolar do jogo – parecem-me excelentes opções para lançar do banco.

Quem faz a virtude?

No meio apenas Petit parece seguro. Ok, neste momento também Beto vive bons dias, no que concerne às boas graças de Koeman, é claro. Mas a mim parece-me que isso apenas se deve à lesão de Manuel Fernandes e à falta de forma que ele evidenciou esta época enquanto jogou. Se Manuel Fernandes estivesse a 100% entraria de caras no onze. Petit é a carraça necessária, o nosso Gattuzzo, o nosso mini-Vieira, o nosso Makelele. A sua função é estancar, enervar o meio campo adversário, roubar bolas, impedir contra-ataques. Beto… bom, eu veria Beto mais como suplente de Petit, pois para construir jogo não tem capacidade.

Perguntam se me esqueci de Karagounis? Não gosto dele. E sinceramente não me parece que o que tem feito esta época seja suficiente para eu mudar de opinião. Agarra-se muito à bola, sempre que a recebe tem aquele tique estúpido de dar uma voltinha sobre si mesmo – muitas vezes travando os nossos contra-ataques. A única coisa boa que lhe reconheço é o facto de ser bom a ganhar faltas.

E atrás, tudo estável?

Nem por isso.
Apenas Luisão e Léo parecem ter os lugares a salvo. Mais o primeiro, dado que Léo pode perder ocasionalmente o lugar para Rocha. O mesmo Rocha que alterna com Anderson a titularidade no centro da defesa. A boa notícia é que no centro não se perde qualidade. Já quando Rocha é desviado para a esquerda (em detrimento de Dos Santos, até hoje não percebi porquê), embora não se perca muito em consistência defensiva, treme-se de cada vez que ele se faz a um lance – na linha, nem sempre é recomendável a sua impetuosidade.

A lateral direita é outra dúvida. Depois do início demolidor de Nelson, este foi necessário mais à frente e eis que se descobre um excelente lateral direito – Alcides. Tem actuado com uma consistência notável, seguro a defender (sai sempre com a bola controlada), menos exuberante que Nelson a atacar, o que não quer dizer que não saiba subir – sabe e bem. Apenas anoto o espeço que por vezes deixa nas suas costas, propenso a lançamentos longos dos adversários. Mas para isso Luisão tem estado bem nas dobras.
Nelson parece ter agora a vida mais difícil. Até pelo fulgor perdido, facto notado nas últimas exibições. Koeman deve estar a medir a ordem de importância dos cruzamentos milimétricos de Nelson com os centímetros que perde atráz em detrimento de Alcides.

E na baliza teremos o guarda-redes, ou o golêro?

Sinceramente, sinceramente, eu prefiro Quim. Moretto até pode vir com o rótulo de guarda redes menos batido da Europa (talvez até de Portugal, lol), mas a verdade é que na anterior equipa actuava com dois autocarros pela frente.
Ok, dirão se não terei visto a exibição frente ao Benfica, mas raios, todo o guarda redes faz a exibição da vida frente ao Benfica, está aos olhos de todos.

Eu por acaso até simpatizo com Quim. A meu ver parece recuperado da lesão que o afectava, como tem demonstrado nos últimos jogos. Gosto de Quim porque é um guarda redes seguro e muito experiente. Quim não faz defesas para a fotografia. Pura e simplesmente defende. Aquele seu gesto típico de sair a soco nos cantos é sintomático. Não tenta agarrar a bola como alguns fazem (com dissabores à mistura), pura e simplesmente tira a bola da zona de perigo, de perto da área. Depois, em termos psicológicos é um jogador muito maduro, como atesta a forma como defedeu contra tudo e contra todos (mesmo contra a simpatia dos adeptos benfiquistas) a baliza do Benfica rumo ao título do ano transacto.

Esquema das Equipas Prováveis

7 Comments:

At 1:57 da manhã, Blogger catennacio said...

Antes de mais nada, parabéns pelo blog e pela iniciativa em assumir um espaço onde pudesses desenvolver as tuas ideias e os teus comentários.

Este artigo faz todo o sentido pela actualidade porque passa o futebol do Benfica.

Desde já, as contratações não me parece que tragam uma grande mais-valia à equipa principal. São apenas bons jogadores de banco (Manduca, Marco Ferreira) e L. Robert é uma incógnita face aos seus 30 anos e personalidade polémica. Em relação ao Moretto, não lhe oferecia para já a titularidade quando o Quim foi o guarda-redes titular da equipa campeã.

É cero que o leque de escolha aumenta, mas há certos valores que podem estar ameaçados, como a estabilidade da equipa, a rotina de jogo e o espírito de grupo. Relembro que do plantel muitas vezes titular do ano anterior, há jogadores que estão numa fase menos boa sem se perceber muito bem porquê: R. Rocha, Dos Santos, J. Pereira e N. Assis. Tudo bem que a concorrência aumentou, mas não penso que as contratações de Inverno sejam assim tão grandiosas para "mexer" tanto no plantel
Estou desejoso para ver as opções de Ronald Koeman. Quando não inventou, o Benfica portou-se bem.

Um abraço e parabéns, mais uma vez, pelo blog.

 
At 10:21 da manhã, Blogger dezazucr said...

Obrigado pelo comentário.
A meu ver, a mais valia que os reforços trazem, tem mais a ver com o reforço do banco do que da equipa titular. Até porque, convenhamos, parece-me melhor ter no banco Marco Ferreira, Manduca e Moretto que Carlitos, Bruno Aguiar e Nereu. Já quanto a Robert, estou um pouco na espectativa, mas ele, duvido que tenha sido contratado para se sentar no banco.
Como a maioria dos benfiquistas, continuo sem perceber a "queima" de Nuno Assis e Dos Santos. O primeiro que sem ser exuberante, tão importante nos foi na caminhada do título passado, e o segundo porque é flagrante a perda de qualidade quando se adapta Rocha ao flanco esquerdo.
O meu receio é que o Koeman se ponha a inventar, porque com tanto jogador à disposição, a cabecinha dele já deve andar à roda.

 
At 9:37 da tarde, Blogger catennacio said...

Estive a ver o Benfica vs Paços de Ferreira com atenção e confesso que não gostei muito da exibição na 2.ª parte.

O próprio Koeman assumiu que a equipa não fez um bom jogo. Continuo a considerar que Moretto até pode ser uma mais-valia, mas em relação a Manduca e L. Robert não vejo que possam ser titulares neste quadro actual.

Um abraço

 
At 10:36 da manhã, Blogger dezazucr said...

A mim o que me saltou mais à vista, foi o índice de passes falhados, principalmente no meio campo onde Beto continua a não conseguir mostrar calma para passar a bola como deve ser (ele até as recupera bem, já passá-las...).
Quanto a Robert, pareceu-me muito... baalhado... completamente desenquadrado dos colegas. Espero que ultrapasse rápidamente a barreira linguística, que quer queiramos quer não, é um grande handicap, e se integre rápidamente. Se o Benfica continuar a ganhar é bom, pois é mais fácil para um jogador integrar-se numa equipa que ganha

 
At 5:50 da tarde, Blogger Guitarrista said...

Ora, boas! Estreio-me a comentar por aqui. Considera isto uma contratação de inverno...

Esquema táctico: Moretto; Alcides, Luisão, Anderson, Léo; Petit, Manuel Fernandes; Nelson, Simão; Nuno Gomes, Geovanni.

Se Simão sair, Robert entra no onze. Caso contrário, não me parece produtivo tirar da equipa um Nelson, um Geovanni ou (tendo em conta a opção frente ao Paços) um Léo para colocar Nelson à esquerda e criar mais uma vaga na direita.

Miccoli é fraco, já se viu. Não produz nada. De vez em quando disputa uma bola, ora faz uma fintinha e tal, lá mata um pombo no 2º anel quando se decide rematar, uma vez de dois em dois jogos... Um suplente razoável para Mantorras.

De Karagounis estamos conversados. Manduca é apenas uma contratação de segurança. Quando tudo falhar, mete-se o Manduca. Se se lesionar toda a gente, entra o Manduca. Se o Simão for vendido e o Robert estiver castigado, entra o Manduca.

Entre Moretto e Quim, e embora concorde com o Dezazucr (isto é pronunciável?), penso que o Moretto é melhor. Mas a luta será renhida e nenhum deles terá nunca lugar aquecido. Recordo apenas um episódio, decorrido no jogo frente ao Chelsea, ainda na pré-época: há um atraso para o Quim e este, qual guardião de um clube de terceira, chuta para a bancada sem tentar uma opção mais viável. Koeman nem barafustou - mandou aquecer Moreira, que substituiu Quim poucos minutos mais tarde. Enquanto Moreira não se lesionou, Quim foi o 2º guarda-redes. Ora, isto mostra bem a opinião que Koeman tem sobre Quim: só será titular caso não haja outra opção.

Concordo também em relação ao apontamento sobre Rocha/Dos Santos. O cabo-verdiano-francês é bom, já o mostrou. E, de cada vez que entra (o que é raro), mostra serviço. Não percebo a insistência em Rocha quando Léo falta. Que o pequeno brasileiro seja titular, concordo e subscrevo. Agora, entre Dos Santos e Rocha para a lateral esquerda, a minha preferência é clara: venha Dos Santos.

Continuação!

 
At 2:30 da tarde, Blogger dezazucr said...

Benvindo.
Sim, é verdade que Koeman não aprecia o Quim. Eu não desgosto do Quim, apesar de não o achar o melhor do mundo. No entanto, acho que qualquer dos guarda-redes do Benfica tem capacidade para agarrar aquela baliza (Moreira, Quim ou Moretto), logo não há que fazer cenas. Ontem, no jogo da taça, pelos vistos, Robert passou a render mais quando foi encostado à direita, por troca com Simão. Ora isso é uma excelente notícia, dado que poderemos ver Simão no seu melhor à esquerda, com trocas ocasionais com Robert.
Quanto ao Micolli, não que eu ache que seja fraco, apenas parece estar a acusar ansiedade a mais. Normalmente os jogadores quando vêm de lesão custam a voltar à forma. Não é nenhum maradona, mas acredito que tem valor. Agora, é inegável que Geovani neste momento rende mais que Micolli naquela posição.

 
At 9:01 da tarde, Blogger sheuhan said...

parabéns pelo blog.

 

Enviar um comentário

<< Home